Páginas

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

MOAS - Migrant Offshore Aid Station

A partir de uma iniciativa de um casal e de suas economias, uma organização foi fundada com a finalidade de salvar e ajudar todos aqueles refugiados que tentam fugir de seus países pelo mar e que correm riscos enormes.
Como uma das únicas formas de fuga da guerra, imigrantes enfrentam botes super lotados para cruzar o mar mediterrâneo e chegar em países como Grécia. Existe até mesmo um negócio ilegal e milionário por trás de tais fugas, o que faz um único bote custar até US$ 1 milhão.
A organização iniciou com um único barco de pesca que rondava pelo mar mediterrâneo em busca de refugiados na tentativa de fuga para poder ajudá-los e acolhê-los. Depois de algum tempo, novos patrocínios iniciaram a ajudar a organização que hoje tem dois barcos, drones, e muitos voluntários especializados para poder ajudar. Cerca de 85% das doações que o MOAS recebe, vai direto para a ajuda aos refugiados e entre 2014 e 2015, mais de 11.600 imigrantes já foram salvos pelas obras do MOAS.
Em 2014 Christopher e Regina Catrambone iniciaram a luta na criação da organização e ela disse uma vez em entrevista que o mais importante disso é que qualquer um pode fazer a diferença com apenas uma iniciativa. Veja um pouco do trabalho do MOAS em 2016. Se quiser doar ou apenas conhecer mais sobre a organização, basta acessar o site clicando nesse link: MOAS.


sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Por que não ser como Alex?

Como todos já devem saber o conflito da Síria ainda continua, e infelizmente, imagens tristes se tornaram símbolos dessa guerra que parece não terminar, apenas matar, ferir, e tirar a humanidade das pessoas. Tirar a humanidade pois nós, humanos, não agimos como tais. Por alguma ideologia, preconceito ou crença, matamos e prejudicamos ao próximo tão igual quanto nós. Não se sabe mais pelo o que luta, e não digo apenas na Síria, mas em todo o canto do mundo, onde as lutas por alguma "causa justa" têm se tornado lutas "sem causa" e prejudicial para todos. Parece que temos uma necessidade de iniciar guerras, apenas para reafirmar a burrice dentro de cada homem que não sabe lidar com palavras e resolver conflitos sem o uso da violência.
Fiz uma postagem à 1 ano atrás falando sobre os refugiados e usei uma citação (do físico, Nikola Tesla) que deveria estar em todo o panfleto político que começa a aparecer nessa época de eleição, que é:
A paz só pode vir como consequência natural da educação universal e da mistura de raças, e ainda estamos longe dessa feliz realização, porque poucos, de fato, hão de admitir a realidade - que Deus criou o homem à Sua imagem - e por isso todos os homens da terra são iguais. Há, na verdade, uma só raça, com diversas cores. Cristo é uma única pessoa, mas é de toda gente, então por que algumas pessoas se creem melhores do que as outras? - Nikola Tesla
Ainda espero ansiosamente por esse dia, o dia em que os homens entenderão que não são melhores que os outros, o dia em que conflitos não cessarão, mas serão resolvidos por meio do diálogo e a compreensão, colocar-se no lugar do outro. Mas enquanto não achamos isso possível, eis que surge algo ou alguém para revitalizar nossa esperança. Alex, de 6 anos. 
Torço para que esse garotinho, tenha tocado seu coração, com toda a sua bondade e grandeza. Espero que esse vídeo te faça pensar no próximo antes de afetá-lo. Torço para que um dia, você queira, e finalmente consiga, ser como o Alex.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Realidade preta e branca

Você hoje acordou com o pé esquerdo, bateu o dedinho na quina da cama e já sentiu que tudo daria errado. Esteve de mau humor, fechou a cara, decidiu não sorrir para ninguém, claro, você não é obrigado a estar bem todos os dias. Você não pôde almoçar no McDonalds hoje porque a fila estava gigante e você já estava atrasado, reclamou da atendente que era lenta, dos carros que faziam o trânsito, do metrô cheio, dos clientes, do governo atual, do panfleto que te entregaram na rua, do cachorro que latiu, do celular que tocou na hora errada e até mesmo da borboleta desatenta que voava na sua direção, como se ela tivesse culpa do seu mau humor diário. Andou olhando para o chão, não levantou o olhar para o céu em nenhum momento do teu dia. Preocupou-se em olhar mais para a tela do seu celular do que para as pessoas ao seu redor, para o mundo que o cerca. Você perdeu horas no Facebook tentando ver como a vida dos outros é mais interessante que a sua. Você se inutilizou sendo triste, deixando os outros tristes, sendo egoísta. Já disse uma vez Renato Russo: "Nos perderemos entre monstros da nossa própria criação, serão noites inteiras, talvez por medo da escuridão, ficaremos acordados, imaginando alguma solução, pra que esse nosso egoísmo não destrua nosso coração". Espero que ele ainda não tenha destruído o seu.

Eu nunca havia fotografado em preto e branco, mas inspirada por Sebastião Salgado, o renomado fotojornalista, decidi tentar. As fotos não estavam saindo como eu queria, me irritei logo de cara por não estar me achando naquele mar sem cores, mas então, lembrei de uma frase de Robert Capa, dizendo que o que faz a foto às vezes nem é sua "perfeição" na resolução ou no foco ou no enquadramento, mas o que faz a foto, antes de tudo, é momento. E por um momento, me deparei com essa cena do meu lado. Primeiro, tive vergonha de levantar a câmera e apontar pra ela, mas eu sabia que precisava fotografá-la, sabia que precisava dizer que ela não é a única. Existem milhares de "pessoas invisíveis" como ela, que ficam sentadas nas calçadas carregando suas histórias que são ignoradas por nós. É fácil generalizar, dizer que "não trabalha porque não quer", "ta na rua porque bebe", mas é difícil saber a história de cada um. Você não sabe o porquê daquela pessoa estar ali, você não tem nada que te faça melhor que ela, você não é melhor que ela, e por que age como se fosse?

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Fotografia: Favoritos de Agosto

Como eu tinha dito que faria (e não fiz no mês passado e estou fazendo atrasada agora) aqui estão mais algumas fotografias favoritas do Flickr que eu vi durante o mês de agosto. Se quiser visitar o meu, é só clicar aqui.

amyyusella32  - Nikon D3200 55-200mm
Mauch Chunk Lake Sunrise
130.7mm. f/5.6. 1/500. ISO 125

david - Samsung WB150 -
high flying birds
4mm. f/4.5. 1/1000. ISO 80

Tobi Gaulke - Leica MP 35mm
classico
35mm. ISO 200

Warren - Canon EOS 6D 16-35mm
Hobart
35mm. f/8. 1/25. ISO 400

Nancy Charlton - Canon EOS 7D 100-400mm
Droit au coeur..
400mm. f/8. 1/1000. ISO 250

PawelG82 - Pentax K10D 18-55mm
Warsaw uprising Remembrance Day
55mm. f/5.6. 1/200. ISO 100

terça-feira, 5 de julho de 2016

Série: Os Trabalhadores de SP

Em Abril, visitei a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo e por trás de todo o alimento que encontramos pronto nos mercados e feiras, ou que está em nossos pratos favoritos nos restaurantes, existem homens que trabalham nesses bastidores, carregando caixas e puxando carrinhos. E foi nesse dia que consegui acompanhar bem pouco de suas vidas, mas esse pouco ao menos rendeu estas fotos.
O desperdício de alimentos também é algo triste de se ver.








Eram tantas coisas para olhar, que não consegui fotografar tudo que queria, mas consegui viver um pouco daquela correria. Passar pelo meio dos caminhões, sentir o cheiro de feira, ouvir os gritos daqueles homens, suas risadas e resmungos. Eu só tenho a agradecer à esse moço das melancias que gritou enquanto trabalhava: "Vai moça, pode tirar a foto", e ainda sorriu para a câmera. Também preciso agradecer àquele senhor de blusa vermelha que aceitou ser meu modelo e até mesmo tirou o chapéu para aparecer na câmera. 
São por momentos assim e por histórias como a deles, que continuo fotografando e quero melhorar cada vez mais.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Sejamos como a Suécia ou espelhemo-nos em Água Branca na Paraíba

Trago mais uma postagem falando de política, sinto muito, logo voltarei com um conteúdo normal e decente para o blog. O único motivo de estar nesse vai e vem de política ligado à cultura e etc, aqui no blog, foi porque esses dias precisei fazer uma redação sobre democracia e então posso dizer que estou inspirada. Para começar como uma aula de história, queria explicar um pouco do que é a democracia.
Os primeiros relatos escritos sobre a democracia surgiram em "Os Persas" do dramaturgo Ésquilo, em 472 a.C. Lá Ésquilo define o povo ateniense - os precursores da democracia no mundo -, como um povo "sem um senhor que os governasse", pois de acordo com a cidade de Atenas, todas as decisões deveriam ser tomadas pelo povo, e eram entendidos como cidadãos todos aqueles que exercessem seus deveres e direitos dentro da pólis e em sua vida política. Mas essa forma de governo seria um consenso geral, uma auto regulação da sociedade, algo revolucionário, talvez até pros dias de hoje. Então podemos comparar nossa democracia com o Senado Romano, no qual o poder de escolha da população é dado apenas para alguns, que o exercem como bem entenderem. Já dizia o autor Charles Bukowski: "A diferença entre uma democracia e uma ditadura, consiste em que numa democracia se pode votar antes de obedecer". Será verdade?

Mas depois dessa introdução gigante, trago uma boa notícia, um princípio de orgulho desponta entre nós. A questão principal dessa postagem é:

Os vereadores da cidade de Água Branca na Paraíba receberam um salário mínimo como salário a partir de 2017.


Esses vereadores (9) resolveram aprovar um projeto para 2017, no qual consiste na redução dos salários dos mesmos de R$2.700 para um salário mínimo, o projeto tem como finalidade reduzir gastos durante tempos de crises, e a solução encontrada pelo presidente da casa foi essa.
Um exemplo para talvez todos os políticos de todo o Brasil, não é mesmo?
Já disse uma vez o filósofo Luiz Felipe Pondé "por que não mudamos o parlamento para uma kitnet?" E por que não usamos de exemplo o país desenvolvidíííííssimo chamado de Suécia? Onde os deputados regionais e vereadores não recebem salário, andam de ônibus e o próprio presidente vai trabalhar de metrô. É necessário mesmo aumentar os impostos e cortar verbas de áreas indispensáveis para a população? É mesmo necessário atingir primeiro a população?

quarta-feira, 15 de junho de 2016

"Seja muito bem-vindo ao Brasil" - as músicas para se pensar dos Selvagens à Procura de Lei

Trazendo um assunto diferente do que o costumeiro, hoje vou falar de música aqui no blog.
Sim, não vemos o assunto "música" todos os dias rondando as páginas do Verdeante, mas sempre tem uma primeira vez pra tudo e acho que essa é a primeira vez perfeita para tal assunto aparecer aqui.

Todos sabemos e percebemos como anda nosso Brasil. Não conseguimos nem esconder dos jornais internacionais a terrível instabilidade causada pelo processo de impeachment, e antes a terrível irresponsabilidade que já vinha se assentando no governo faziam-se anos. E assim como a economia refletiu as crises políticas, a cultura também não fica para trás, já fazia tempo que precisávamos de músicas feitas "para a cabeça e não para o pé", algo como Cazuza, Legião Urbana, Titãs, Ultraje a Rigor, Engenheiros do Hawaii e tantos outros que não possuem herdeiros hoje.
Não sei vocês, mas andei muito desanimada com todos os sons horríveis da música brasileira atual, mas um dia, procurando algo de útil nas rádios, surge-me a luz no fim do túnel. E você me pergunta, o que tem a ver política, impeachment, crise na economia, sociedade brasileira e música? E eu te respondo, nossas músicas andam aos trancos e barrancos assim como nossa sociedade. Talvez seja bom para alguém - ou alguns, deixar as pessoas na ignorância, esquecer que a palavra cidadão significa: "indivíduo que, como membro de um Estado, usufrui de direitos civis e políticos por este garantidos, e desempenha os deveres que, nesta condição, lhe são atribuídos". E a arte, todos sabemos, é um meio de mostrar a realidade sutilmente, podemos ver isso pelas músicas da Tropicália na época da Ditadura. Mas não estamos em ditadura, não temos a censura e mesmo assim, não existem músicas inteligentes? Existem, elas apenas estão escondidas da maioria da sociedade.

Ano passado enquanto ainda ocorriam manifestações, surgiu uma música que foi gravada em 2012 e que incrivelmente pareceu uma premonição sobre o que aconteceria. Ela se encaixa em todos os parâmetros que negamos hoje, somos "vira-latas" que amam mais o exterior que seu país. A música se chama Brasileiro da banda Selvagens à Procura de Lei.
Em atividade desde 2009, a banda foi formada no Ceará e logo de cara podemos reconhecer fortes traços de Legião Urbana em suas músicas. Lançaram seu primeiro álbum em 2011, mas o que fez sucesso mesmo foi o álbum de 2013 que carrega as músicas "Brasileiro", "Mucambo Cafundó" e "Massarrara".

Brasileiro, foi a primeira música que ouvi deles e a letra realmente me surpreendeu. Olha um trecho:
"Porque eu sou brasileiro, meu ano só começa quando passa fevereiro. Pobre, rico ou classe média, levante a mão quem já sentiu puxar a sua rédea."
E foi com esse pequeno refrão que eu sorri e pensei "ufa, temos esperança".
Procurei então outras músicas e me deparei com mais um encanto para a nossa belíssima Copa que poderá ser usado novamente nas Olimpíadas de 2016 para recebermos os estrangeiros, na minha opinião deveriam usar como música de abertura, mas...seria uma grande ironia.
"Seja muito bem-vindo ao Brasil. Espero que você tenha o perfil. Aqui estamos em guerra civil, quem não tiver estômago abandone o navio."

domingo, 12 de junho de 2016

Desafio de Impacto Social Google 2016

Em busca da redução de problemas sociais e ambientais por meio do uso da tecnologia, o Google lançou no dia 23 de Fevereiro deste ano, a segunda edição de seu projeto de impactos sociais. Serão 4 projetos vencedores de 1,5 milhões de reais para investimento, e todos devem ter o uso da tecnologia vinculado ao seu processo. Foram separados 10 projetos finalistas, jurados escolheram 3 e o voto popular escolherá 1. Você tem direito à 4 votos, e faltam apenas dois dias, corre lá!
Os projetos pelos quais votei foram esses, mas você pode fazer sua própria escolha no site do Desafio Social




Como eu disse, esses são alguns dos projetos que estão no desafio, esses foram os que votei, mas você pode escolher qualquer outro que quiser no site do Desafio Social do Google. Vote!

sábado, 11 de junho de 2016

Favoritos de Maio/Junho

Um pouco atrasada (como sempre, pois sou patologicamente atrasada), decidi criar um "quadro" novo no blog. Ando pelos blogs por aí e sempre noto os "favoritos de tal mês", em que as blogueiras mostram suas coisas (roupas, músicas, livros e etc) que mais gostaram de usar/ler/ouvir no tal mês. Então, pensando nisso, eu decidi fazer meus primeiros "Favoritos", mas como tudo aqui é diferente de outros blogs, esses favoritos serão de fotografias, sim, as fotos que mais gostei e que encontrei em maio e estou encontrando em Junho. A fotografia pode mudar um mundo, essas mudaram meu mês de maio. Espero que gostem tanto quanto eu.
Maverick - Nikon D800
Most Beautiful...
Red Fox
fragment (in explore)
Partha Siddharth - Canon EOS 70
Toy Man
Gerard Van Den Hoek - Canon EOS 7D
13
Roger Winkler - Canon EOS 50D
Little Joe
Eternal monotony of being (3)
The decisive moment (of a selfie) -E
blackwall 2016
Lauren Kamenitz - Nikon D750

159/366
Naeim Karimi - Fujifilm X-T1
Sunshine

quinta-feira, 9 de junho de 2016

"CDHU" para animais abandonados.

Se nós que temos casa, comida, roupas, cobertores, colchões e etc, estamos sofrendo com esse frio, já parou para pensar nos animais que vivem nas ruas? Como eles passam essas noites congelantes?

A empresária Bruna Uncini, de 26 anos que mora em Lages na Serra Catarinense, pensou e criou o projeto "Ajude um Animal de Rua". Bruna começou tal projeto quando tinha apenas 16 anos e começou a ganhar seu próprio dinheiro, com a ajuda das duas irmãs, elas resgatavam e levavam esses animais de rua para a castração, mas decidiu fazer mais e levar ao público esses seus atos. Encontrou dois parceiros para o projeto e pediu ajuda de custos fazendo uma campanha online, receberam autorização da prefeitura da cidade de Lages e começaram o boca a boca, e logo tudo já estava pronto e era possível fazer a compra de casinhas para esses animais. A estrutura da casinha é reciclável, que ainda consegue manter o calor dentro dela, protegendo os animais do frio. 
Projeto contou com o apoio da comunidade lageana (Foto: Bruna Uncini/Divulgação)
As primeiras casinhas foram patrocinadas por empresários da cidade, e a empresa que patrocina recebe uma placa na casa que comprou. Logo cobertores dados pela população apareceram dentro das casas, além de comedouros que serão instalados para que as pessoas possam alimentar esses animais. E ainda vem por aí a segunda e a terceira etapa do projeto, que pretende recrutar veterinários voluntários que façam castração e vacinação desses bichinhos. São previstas 500 casas para 71 bairros da cidade, quem sabe não podemos fazer isso por aqui em São Paulo também ein?! Imagine cada um fazendo essa campanha em seu bairro, que diferença faria!
500 casinhas serão instaladas nos 71 bairros da cidade (Foto: Bruna Uncini/Divulgação)
Fonte: G1.com

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Semana do Meio Ambiente

O Dia Mundial do Meio Ambiente começou a ser comemorado dia 05 de Junho de  1972, com o objetivo de promover atividades de proteção, preservação do meio ambiente e alertar o público e os governos de cada país sobre as mudanças e os impactos causados pelas ações do homem sobre a natureza.
Esse ano alguns lugares estenderão uma programação especial para essa semana do meio ambiente (dia 05 a 11 de Junho). Como por exemplo a prefeitura da cidade de Campinas em parceria com o Senac, a Unicamp e a PUC-Campinas que já tem diversos eventos agendados para essa semana. Os eventos incluem exposições fotográficas, teatrais, música, workshops, roda de debate sobre o Plano Municipal do Verde de de Recursos Hídricos, pedalada de 15 km, entre outros. 
A agenda completa do evento pode ser vista do site Semeia, mas separei algumas atividades que mais gostei (para os próximos dias, já que estou postando atrasado isso aqui) para deixar aqui no blog. 

7 e 8 e 9 e 10/6/2016 09h00 - 12h00 ou 14h00 - 17h00 Exposição Fotográfica: Nos Trilhos da História
7 e 8 e 9 e 10 e 11/6/2016 10h00 - 16h00 Visita aberta ao Borboletário
7/6/2016 18h30 Caminhada noturna
7/6/2016 19h30 – 21h00 Palestra: Construção Sustentável 
8/6/2016 14h00 Palestra sobre Saneamento Básico
8/6/2016 19h00 Pedalada de 15 Km pela área verde de Barão Geraldo (Parceria com o Grupo ECO's Bikers)
8/6/2016 19h30 – 21h00 Workshop: Hortas Urbanas para pequenos espaços
8/6/2016 20h00 Orquestra Sinfônica da Unicamp
9/6/2016 09h00 - 11h00 Parada ambiental Caminhada ecológica na trilha de Joaquim Egídio Tema: “Hábitos saudáveis, qualidade de vida e meio ambiente"
10/6/2016 09h00 - 11h30 Oficina: "Arte na Educação Ambiental" 
10/6/2016 09h00 - 12h00 Rolê ambiental
11/6/2016 15h00 Espetáculo Teatral "Caipirologia"
11/6/2016 15h00 ENCERRAMENTO SEMEIA 2016

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Adote, e caso não possa, compartilhe - O Reencontro

A pouco tempo atrás eu fiz uma postagem aqui mostrando uma cachorrinha na qual encontrei na frente da escola em uma manhã chuvosa e fria, e ela estava com a pata machucada, a vizinha da escola nos ajudou e etc, etc. 
Saímos por aí compartilhando no Facebook e pregando cartazes, e um desses cartazes deu um resultado inesperado para nós. A dona da cachorrinha apareceu! Ela me ligou desesperada dizendo que o cartaz foi colado no Pet Shop Bem-Te-Vi, no qual ela é tratada e o dono do pet a reconheceu, ligou para a dona e ela conseguiu entrar em contato comigo.
Descobrimos então que a cachorrinha, de nome Radija, tem 14 anos e morava na rua de trás da escola. Vejam o que se deu de tudo isso:

E pode deixar que toda a felicidade foi minha, por ter recebido a ligação da dona da Radija chorando e agradecendo muito por eu tê-la encontrado. Compramos também uma flor (em forma de agradecimento) para Marta Vilas Boas, a vizinha com quem Radija ficou e foi muito bem tratada.

Eu sabia como era encontrar um animalzinho na rua. Minhas duas cachorras são resgatadas, Frida e Nina, mas nenhuma das duas fui eu que encontrei, e sim meus pais. Eu sempre sofri por ver esses animais de rua e não poder fazer nada, mas dessa vez eu fiz. E eu que devo agradecer muito por ter tido essa experiência e essa chance de fazer o bem e salvar uma vida que foi guardada por Deus durante todo esse tempo e agora pode reencontrar sua família.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Adote, e caso não possa, compartilhe.

Em uma quinta-feira chuvosa, eu e Marina (uma amiga de longa data) fomos procurar, em frente a escola, por um amigo. Ao invés de encontrarmos ele, encontramos uma cachorrinha na chuva, no meio da pista. Ela estava com a pata machucada sem conseguir pisar direito, tremia de frio e estava completamente encharcada por conta da chuva. Tentei ligar para meus pais pedindo pelo amor de Deus para que pudessem vir buscar ela, mas eu não tenho como, já tenho duas cachorras que também vieram da rua e não temos como colocar mais uma dentro de casa. Minha mãe ficou no telefone tentando me explicar isso enquanto eu chorava. O tio da portaria já havia dito que aquela cadelinha já estava circulando por ali durante horas. Ela olhava para qualquer pessoa que passava e tentava entrar nos carros que paravam em frente a escola. Com certeza havia sido abandonada. 
Fomos então até a casa da vizinha (que sou agradecida à ela até agora!) perguntar se era dela pois sabíamos que ela era dona de vários cachorros. Ela disse que a cadelinha não era dela, mas por uma boa ação, ela colocou a cachorrinha para dentro, cuidando dela, dando banho, colocando roupa, passando remédios, dando comida e etc. Mas infelizmente ela não tem como continuar com ela, ela já tem 5 cachorros e não pode ter mais um, sem contar que cuida de muitos outros pela rua. Estamos então fazendo uma campanha para que esse amor de cachorrinha seja adotada.
Ela é linda. Um cachorro de dentro de casa pois não sabe andar na rua, possuía coleira e é muito quieta. Não late e é dócil. Apesar de machucada quando a pegamos no colo, ela nem sequer rosnou.
POR FAVOR, CASO VOCÊ QUEIRA ADOTÁ-LA, OU CONHECE ALGUÉM QUE QUER ADOTAR UM CACHORRO, ENTRE EM CONTATO: (11)99224-3014 ou (11)97541-9683

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Fotos verdes no Sesc Itaquera

Realmente eu queria ter mais tempo para postar, mas infelizmente não estou conseguindo nem ligar o computador direito, e raramente consigo visitar lugares para fotografar - já que é meu novo hobbie. Mas tenho que dizer que comprei livros sobre fotografia (que posso fazer uma postagem depois sobre eles), e estudei para tentar melhorar. Então no dia 25 de Janeiro de 2016, no aniversário de São Paulo, visitei o Sesc de Itaquera no qual teria um show da cantora Maria Gadú, e na realidade não era nem minha intenção assistir o show, mas pude ter a certeza que meus estudos em casa sobre fotografia, renderam e consegui tirar uma das melhores fotos da minha vida (se não a melhor) nesse dia.
Sei que me meti dentro de uma trilha que não conhecia em um canto desse Sesc que frequento desde minha infância. Estava com dois amigos, mas uma desistiu de continuar e então os que restaram (no caso eu e o outro) continuamos enfrentando as aranhas "gigantes", o lodo que nos fazia escorregar, as formigas que, sem exagero, nos atacavam, e meu medo de que algum bicho gigante aparecesse. Mas enfim, como no Brasil (e muito menos no Sesc) não temos ursos, eu me tranquilizei e daí saíram essas fotos:
Batizamos o lugar de Terabitia.
Essa é uma das melhores fotos que já tirei, acho eu. Graças ao momento certo. O golpe de sorte.

Obrigada por ter olhado todas as fotos até aqui. Espero que tenha gostado.
Logo volto, quando der.

PS': Não se esqueça de comentar.