Páginas

sábado, 25 de abril de 2015

Space Camp III

Continuando as postagens sobre o Space Camp 2015, pois ainda tenho muita coisa pra contar. No primeiro dia, quando chegamos do aeroporto fomos direto para a Pousada Natureza Foz onde fizemos o cadastro e ganhamos duas camisetas com o logo tipo do acampamento e uma bolsa carteira também com o logo tipo. Sem contar o crachá que teria que resistir até o último dia, pois sem ele não entraríamos no Parque Tecnológico (o meu já estava rasgando no terceiro dia). Depois de apresentações e a abertura do evento no auditório César Lattes, chegou a hora que eu não sabia que teria...seríamos divididos em grupos. Achei que o grupo seria formado com as pessoas com que você foi, que no caso seria da minha escola, mas os nomes foram sorteados e muito bem separados e eu fui parar em um grupo que não conhecia ninguém.
Nossa primeira "missão" era desenvolver um grito de guerra, 1 broche e o nome da equipe. O número da nossa equipe era 13, e conseguimos um nome muito criativo. SAT - Superação Apollo 13 (uma missão que não deu certo, por isso o "superação" antes do nome).
Nosso grito de guerra foi feito no último momento, como: "Um pequeno passo no Space Camp, um grande salto para o Brasil." E quem diria que isso daria certo?
O pessoal da organização nos avaliaria em tudo, desde entrosamento entre as pessoas do grupo, até na criatividade. Passei a ficar mais tempo com o grupo do que com o pessoal da minha escola, já que tudo deveria ser feito entre nós. O segundo dia foi de palestras e o terceiro começamos a montagem dos foguetes, ai sim a coisa ficava séria. Teríamos que construir dois foguetes com os materiais que estavam nos dando, um deles deveria alcançar o alvo e o outro levar um "Ovonauta" e pousá-lo em segurança. E bom, como faríamos isso? Ninguém sabia.
Recebemos alguns tubo de, tipo um papelão, pedacinhos de madeira para fazer as aletas, e o isopor em forme de cone para a parte de cima do foguete. Teríamos que calcular o ponto de pressão, centro de gravidade, encontrar um lugar para colocar o ovo, e montar o paraquedas para o primeiro foguete. O segundo teria que ser calculado as mesmas coisas, mas sem o ovo, mas para que alcance a distância correta. Fizemos o primeiro foguete e começamos o segundo, estava quase tudo pronto para o lançamento no dia seguinte, só faltava terminar a noite, onde todos os grupos se encontrariam na pousada para terminar seus devidos foguetes. Mas então aconteceu o inesperado, o ovo que estava extremamente fixo dentro da cápsula que acrescentamos no foguete, havia se quebrado, e então tivemos que começar tudo novamente. Ficamos refazendo o foguete até á 1h30 da manhã, e terminamos na hora extra do dia seguinte que nos deram antes do lançamento. 
Ficamos de baixo de Sol quente no lançamento, sendo que fiquei até com insolação. Mas nesse ponto da competição, minha equipe já estava bem entrosada e nossos foguetes ficaram em segundo lugar, sendo que o ovo resistiu, um grande avanço. Depois faltaria apenas a montagem do Rover, o nosso maior problema.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Dia da Terra - 22 de Abril

Várias manifestações acontecem nesta quarta-feira (22) para celebrar o Dia da Terra.
Desde 1970, no dia 22 de abril é comemorado o Dia da Terra em todo o planeta, este é um dia para reconhecer a importância do nosso planeta Terra. O dia foi comemorado primeiramente pelos Estados Unidos em 1970, quando o senador americano Gaylord Nelson organizou um grupo do tipo de fórum ambiental, e acabou chamando a atenção de mais de 20 milhões de pessoas. 


Ano passado a NASA criou o projeto Global Selfie (quando a NASA reuniu fotos de pessoas ao redor do mundo e criou um mosaico), mas esse ano será o projeto #NoPlaceLikeHome, que pede para que você tire uma foto de seu lugar favorito relacionado ao dia da Terra, então pode ser um campo, um lago, um tio, uma estrada ou etc, e então eles selecionarão as melhores fotos para criar um vídeo. 

A NASA também disponibilizou as fotos das mudanças que ocorreram devido ao aquecimento global no mundo, as centenas de fotos divulgadas no site da agência, exibem as modificações de várias regiões ao longo de séculos, ou de apenas alguns dias. Nem todas as fotos sofrem alterações por conta das mudanças climáticas, mas também por conta da urbanização entre outros. 
Essas são algumas das imagens disponibilizadas pela NASA:

Melting Qoris Kalis glacier, Peru.
McCarty Glacier in southern Alaska.
Em homenagem ao dia da Terra, o Google criou um Doodle que é um quiz para que você descubra que animal você é. Para isso basta responder umas perguntas simples do seu cotidiano e logo sairá o resultado
Após apontar no animal indicado, o site de buscas dá mais informações sobre a espécie. Entre as questões propostas pelo Google nesta quarta estão perguntas sobre o que você procura em um parceiro ou o que você faria em uma noite típica de sexta-feira. O resultado é imediato e você pode descobrir que parece, por exemplo, com um camarão mantis ou com uma abelha-de-mel. 
Você pode fazer o teste no Doodle dessa quarta-feira.
Mas ai você se pergunta, o que eu poderia fazer no Dia da Terra, e não apenas postar uma foto?
Bom, aqui são algumas dicas do que seria legal ser feito nesse dia, desde coisas simples que qualquer um poderia fazer não apenas no Dia da Terra, mas sim todos os dias, até coisas como:

  • Plante uma árvore típica da sua zona;
  • Pinte um desenho do planeta Terra;
  • Incentive a reciclagem;
  • Reutilize materiais como plásticos e papelão e crie vários tipos de material escolar, como estojos, copos para lápis e caneta, pastas, etc;
  • Faça uma limpeza na escola;
  • Pinte um muro com motivos ecológicos;
  • Use menos energia, desligue as luzes quando possível.

  • Cuide do planeta assim como ele cuida de você.

    segunda-feira, 23 de março de 2015

    A Pobreza no Maranhão

    Ano passado, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o Brasil saiu da condição e do Mapa Mundial da Fome. Parece que essa mudança surgiu devido ao "avanço" do estado do Maranhão, que saiu do estado de extrema pobreza. Mas as vezes não parece que o estado sofreu essa tão grande mudança, De acordo com o IBGE, de 50 municípios mais pobres, 32 estão no Maranhão, e ainda me dizem que algo melhorou? Todos os dias, o único alimento que a família tem, é uma papa de água e farinha, pois não possuem alimento e nem sequer recebem o tão famoso Bolsa Família. No município de Alto Alegre do Pindaré, no oeste maranhense, 6 de cada 10 pessoas vivem na pobreza, sendo que 4 delas possuem ou fazem parte de uma família que recebe uma renda per capita mais baixa que 70 reais. Cerca de 25% dos pobres do município ainda não recebem o Bolsa Família que tem direito.
    O município possui uma equipe da prefeitura chamada de Busca Ativa, que visitam casas precárias, que precisam de ajuda, ao identificar casos desse modo, a equipe cadastra a família e procura "correr atrás" de seus direitos, talvez seja por um pequeno detalhe desse, que algo esteja mudando, mas que se já tivesse sido feito á muito tempo atrás, no governo de outros, tudo estivesse melhor e não talvez não teríamos 3,4 milhões de pessoas passando fome no território brasileiro. As vezes, as estatísticas assustam, mas é uma das maneira - bem tortas, por sinal - de sabermos como andam as coisas, que no caso, não parecem nada boas, e também mostra que é hora de mudar.

    sábado, 21 de março de 2015

    Space Camp 2015 ll


    O Space Camp, ou Acampamento Espacial é um evento voltado a alunos de Ensino Médio, e principalmente os que se destacaram nas olimpíadas de Astronomia, a OBA. O evento tem foco em robótica, astronomia e astronáutica, alunos e professores de todo o Brasil, participam de palestras e atividades dinâmicas, que envolvem desde formação de equipes, montagem de foguetes e rovers.

    No ano de 2015, a sede do evento foi o PTI, Parque Tecnológico de Itaipu, criado em 2013, pela Itaipu Binacional, o parque é como um polo tecnológico e científico tanto para o Brasil, quanto para o Paraguai. O Parque foi instalado nos antigos alojamentos construídos por trabalhadores da usina. Dentro do próprio PTI, podem ser vistas as parcerias feitas com algumas faculdades e os cursos oferecidos por elas, como a UNIAMÉRICA, UDC, Unifoz, Unila, entre outras.

    Os locais que mais ficamos para assistir as palestras ou para as atividades dinâmicas, foram: Auditório César Lattes, para as palestras. E o espaço de eventos Florestan Fernandes, onde eram feitas as atividades em grupo.


    Também visitamos o Cineteatro Barrageiros, nome dado em homenagem aos homens que trabalharam na usina de Itaipu. Lá, foi onde assistimos a palestra do Tenente-coronel Marcos César Pontes, ou o astronauta Marcos Pontes, que realmente, deu uma lição de vida á todos que estavam assistindo sua palestra. 

    Outro lugar que visitamos, tanto para a observação do céu, quanto para o planetário, foi o Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho.



    O que mais me impressionou naquele lugar, foi sua estrutura e como tudo foi "reutilizado", os antigos dormitórios de trabalhadores, hoje são salas de estudo, e o lugar é gigante. Queria ter conhecido mais de lá, mas sabia que me perderia se me afastasse um pouco. Espero voltar lá em breve.

    quarta-feira, 18 de março de 2015

    Space Camp 2015

    No dia 09 de Março de 2015, eu, um professor e mais 5 alunos do Colégio Integração, viajamos até Foz do Iguaçu, para o Space Camp 2015, organizado pela ACRUX e OBA (olimpíada brasileira de astronomia), alunos que tiveram destaque ou que obtiveram boas notas na olimpíada, foram chamados para o IV Space Camp, que nesse ano foi feito no PTI (Parque Tecnológico de Itaipu).
    Tenho muita coisa para falar sobre o curso, a cidade, o PTI, a usina e tudo que aconteceu. Foram reunidos, aproximadamente, 150 alunos para cursos de astronomia, astronáutica, robótica, empreendedorismo, entre outros. Pessoas de todo o Brasil e alguns vindos de outros países, ficaram hospedados em uma pousada que ficava a 30 minutos, mais ou menos, do parque tecnológico, onde todas as manhãs éramos levados de ônibus até lá. O curso durava 1 semana, dividíamos quartos com desconhecidos, o que nos obrigava a socializar. No primeiro dia, todos os alunos foram divididos em 15 grupos, que duraria durante o curso inteiro. Os grupos eram formados por pessoas desconhecidas e aleatórias, nunca ficávamos com alguém da própria escola. Haviam pessoas de Rezende no Rio de Janeiro, Belo Horizonte em Minas Gerais e até mesmo de São Paulo, na Mooca, a mesma região que eu. Todos, de alguma forma, acabaram se falando durante os 7 dias, acabamos criando relações de amizade com muitos, até mesmo quem não era do nosso grupo.
    Além de palestras, tivemos aulas práticas e muita motivação. Assistimos uma palestra do astronauta brasileiro, Marcos Pontes e do fundador da EMBRAER, sem contar outros grandes nomes que sempre enfatizaram a importância de continuar, nunca desistir, e acreditar fielmente em seus sonhos.