Páginas

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Simba

Campanha para salvar leão Simba tem até
doação de bolsa de grife

Depois de ficar por seis anos em um zoológico desativado e perder sua companheira, um leão ganhou um e-mail para contato e virou estrela na internet. A história dele lembra a do leão Ariel, que morreu ontem em São Paulo -- ele tinha paralisia nas pernas e também gerou uma campanha pelas redes sociais.

No caso de Simba, como é chamado o outro leão, a campanha virtual é para dar um novo lar ao animal. A iniciativa conta com apoio de internautas estrangeiros --um dos fundadores é de Portugal-- e até com a doação de bolsas de grife.

A ideia é da página "Leão Simba também precisa de você", no Facebook, que já tem mais de 1.800 apoiadores.

Segundo os organizadores, Simba vive sozinho no zoológico de Ivinhema (MS) --fechado pelo Ibama em 2005-- e apresenta sinais de depressão. O leão perdeu a companheira no ano passado.
Leão Simba, que vive sozinho no Zoológico de Ivinhema (MS), perdeu a companheira em 2010
Ele também está em uma jaula pequena e sem segurança, segundo a coordenadora do setor de fauna do Ibama em MS, Paula Mochel.
A coordenadora diz que o órgão tenta encontrar um lar para o leão há um ano e meio --antes, a prefeitura tentava reaver o espaço. Enquanto isso, um zelador pago pelo município alimenta o leão três vezes por semana.
Agora, o objetivo é transportá-lo até o lar de animais Rancho dos Gnomos, em Cotia (SP). O local foi encontrado com ajuda da campanha na internet.

"Conseguimos em dez dias o que demorou anos", comemora a psicóloga Fátima Nogueira, 55, que mantém a página com três amigos virtuais. Ela vai dormir "de madrugada" por conta do tempo que passa na rede social empenhada na campanha.

Segundo Fátima, cada internauta ajuda como pode: além da bolsa de grife, que deve ser rifada, uma internauta doou uma tela de ponto-cruz, um grupo prometeu doar um netbook e há até quem já organize passeios de rapel em prol do leão.

A campanha não é restrita ao Facebook. O fundador do Rancho dos Gnomos, Marcos Pompeu, diz que está esperando o Ibama autorizar o transporte do animal para também começar uma "vaquinha" na web.

No Rancho, Simba deve trocar o nome para Antuak, "para não lembrar o passado", e viver com as leoas Biná e Hera.

Antes disso, Simba deve ter todas as etapas da viagem de Ivinhema a Cotia, de quase mil km, transmitidas em tempo real na internet por meio de fotos.

LEÃO ARIEL

Morreu ontem em São Paulo, aos três anos, o leão Ariel. Sucesso na internet, o animal provocou uma onda de solidariedade pelas redes sociais no Brasil.

Ele ganhou fama ao aparecer na TV vivendo em um sítio de uma família de Maringá (PR). O leão sofria de uma rara doença degenerativa autoimune que provocou a paralisia de suas pernas.

Como estava mais fraco, o felino foi tratado com sessões de acupuntura, quiropraxia e massagem. Foi levado para São Paulo para tratamento.

Ariel, que em hebraico significa leão de deus, vivia com cuidados especiais em um canil de Maringá. A reportagem tentou falar com a dona de Ariel, Raquel Borges, mas não conseguiu localizá-la.

Nenhum comentário: