Microrganismos na agricultura: como bactérias e fungos podem fazer suas plantas crescerem?

15:07

Se você gosta de plantas e as têm em casa, já deve ter visto muitas delas apresentarem doenças. E se você é agricultor ou estudante de agronomia, com certeza você sabe o quão prejudicial algumas doenças podem ser para o seu cultivo. Essas doenças podem sim serem causadas por bactérias, fungos, ascomicetos, vírus (é, as plantas também pegam viroses) e tantos outros patógenos. Porém, muitas pessoas ainda não sabem o quão esses microrganismos podem ser benéficos para as plantas.

Existe uma interação entre indivíduos que se chama "SIMBIOSE", a simbiose significa que nessa relação existente, entre organismos de espécies diferente, não há perdas. Ou seja, ninguém prejudica ninguém. É um relacionamento bom, correto e não abusivo.

Muitos microrganismos constroem relações simbióticas com plantas: as plantas fornecem abrigo para eles e eles fornecem alimento para a planta. 

Você deve estar se perguntando como isso acontece. Bem, não é tão difícil quanto parece.

No solo, as raízes das plantas liberam compostos químicos, chamados de exsudatos. Esses compostos atraem microrganismos de vida livre, como as bactérias, e esse fenômeno se chama quimiotaxia. Ao se aproximarem, os microrganismos acabam se alojando nas redondezas das raízes, na rizosfera. 
Ali, esses minúsculos seres vivos poderão ficar livres ou se associarem, criando nódulos nas raízes como as bactérias do gênero Rhizobium, ou colonizar os tecidos das raízes como os fungos conseguem. 

A questão é que esse ambiente será propício para o crescimento dos microrganismos, eles estarão seguros. Então eles, por sua vez, continuarão a realizar seu metabolismo que pode consistir em transformar nutrientes que estão no solo ou no ar (e que as plantas não conseguem absorver) em formulações que seja propício para a absorção pelas raízes.
Rhizobium Rhizobium bacteria nodules Every Bacteria has a Story Pinterest
Nódulos nas raízes, formados por bactérias do gênero Rhizobium.
Um exemplo são as bactérias fixadoras de nitrogênio - como aquelas do gênero Rhizobium -, esses microrganismos criam nódulos no exterior das raízes de plantas leguminosas (como soja) e têm a habilidade de transformar o nitrogênio gasoso em formas assimiláveis (absorvíveis) pela planta, tudo em troca de proteção. Isso se chama Fixação Biológica de Nitrogênio - FBN, e graças à isso nós não precisamos aplicar fertilizantes para adubação nitrogenada em soja. 

Existem ainda outros casos, como o fungo dark septale, as bactérias do gênero Bacillus, Pseudomonas, entre tantos outros. Já existem alguns produtos que são totalmente biológicos e não prejudiciais ao meio, que podem cooperar no crescimento das plantas como se fossem fertilizantes químicos; ou ainda podem atuar no controle de insetos e pragas, diminuindo ou cessando completamente a aplicação de inseticidas (isso se chama MIP e podemos falar sobre isso mais pra frente em outra postagem).

Mas antes de terminar, só gostaria de pontuar que a descoberta da tecnologia de Fixação Biológica de Nitrogênio, aconteceu no Brasil, por meio da pesquisadora e engenheira agrônoma brasileira: Johanna Döbereiner.
Johanna Döbereiner | Mulheres que você deveria conhecer #3 ...
Johanna Döbereiner, sétima cientista brasileira mais citada no mundo, pioneira em biologia do solo.

Escrito por: Clara Barros

You Might Also Like

0 comentários