Páginas

segunda-feira, 23 de março de 2015

A Pobreza no Maranhão

Ano passado, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o Brasil saiu da condição e do Mapa Mundial da Fome. Parece que essa mudança surgiu devido ao "avanço" do estado do Maranhão, que saiu do estado de extrema pobreza. Mas as vezes não parece que o estado sofreu essa tão grande mudança, De acordo com o IBGE, de 50 municípios mais pobres, 32 estão no Maranhão, e ainda me dizem que algo melhorou? Todos os dias, o único alimento que a família tem, é uma papa de água e farinha, pois não possuem alimento e nem sequer recebem o tão famoso Bolsa Família. No município de Alto Alegre do Pindaré, no oeste maranhense, 6 de cada 10 pessoas vivem na pobreza, sendo que 4 delas possuem ou fazem parte de uma família que recebe uma renda per capita mais baixa que 70 reais. Cerca de 25% dos pobres do município ainda não recebem o Bolsa Família que tem direito.
O município possui uma equipe da prefeitura chamada de Busca Ativa, que visitam casas precárias, que precisam de ajuda, ao identificar casos desse modo, a equipe cadastra a família e procura "correr atrás" de seus direitos, talvez seja por um pequeno detalhe desse, que algo esteja mudando, mas que se já tivesse sido feito á muito tempo atrás, no governo de outros, tudo estivesse melhor e não talvez não teríamos 3,4 milhões de pessoas passando fome no território brasileiro. As vezes, as estatísticas assustam, mas é uma das maneira - bem tortas, por sinal - de sabermos como andam as coisas, que no caso, não parecem nada boas, e também mostra que é hora de mudar.

sábado, 21 de março de 2015

Space Camp 2015 ll


O Space Camp, ou Acampamento Espacial é um evento voltado a alunos de Ensino Médio, e principalmente os que se destacaram nas olimpíadas de Astronomia, a OBA. O evento tem foco em robótica, astronomia e astronáutica, alunos e professores de todo o Brasil, participam de palestras e atividades dinâmicas, que envolvem desde formação de equipes, montagem de foguetes e rovers.

No ano de 2015, a sede do evento foi o PTI, Parque Tecnológico de Itaipu, criado em 2013, pela Itaipu Binacional, o parque é como um polo tecnológico e científico tanto para o Brasil, quanto para o Paraguai. O Parque foi instalado nos antigos alojamentos construídos por trabalhadores da usina. Dentro do próprio PTI, podem ser vistas as parcerias feitas com algumas faculdades e os cursos oferecidos por elas, como a UNIAMÉRICA, UDC, Unifoz, Unila, entre outras.

Os locais que mais ficamos para assistir as palestras ou para as atividades dinâmicas, foram: Auditório César Lattes, para as palestras. E o espaço de eventos Florestan Fernandes, onde eram feitas as atividades em grupo.


Também visitamos o Cineteatro Barrageiros, nome dado em homenagem aos homens que trabalharam na usina de Itaipu. Lá, foi onde assistimos a palestra do Tenente-coronel Marcos César Pontes, ou o astronauta Marcos Pontes, que realmente, deu uma lição de vida á todos que estavam assistindo sua palestra. 

Outro lugar que visitamos, tanto para a observação do céu, quanto para o planetário, foi o Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho.



O que mais me impressionou naquele lugar, foi sua estrutura e como tudo foi "reutilizado", os antigos dormitórios de trabalhadores, hoje são salas de estudo, e o lugar é gigante. Queria ter conhecido mais de lá, mas sabia que me perderia se me afastasse um pouco. Espero voltar lá em breve.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Space Camp 2015

No dia 09 de Março de 2015, eu, um professor e mais 5 alunos do Colégio Integração, viajamos até Foz do Iguaçu, para o Space Camp 2015, organizado pela ACRUX e OBA (olimpíada brasileira de astronomia), alunos que tiveram destaque ou que obtiveram boas notas na olimpíada, foram chamados para o IV Space Camp, que nesse ano foi feito no PTI (Parque Tecnológico de Itaipu).
Tenho muita coisa para falar sobre o curso, a cidade, o PTI, a usina e tudo que aconteceu. Foram reunidos, aproximadamente, 150 alunos para cursos de astronomia, astronáutica, robótica, empreendedorismo, entre outros. Pessoas de todo o Brasil e alguns vindos de outros países, ficaram hospedados em uma pousada que ficava a 30 minutos, mais ou menos, do parque tecnológico, onde todas as manhãs éramos levados de ônibus até lá. O curso durava 1 semana, dividíamos quartos com desconhecidos, o que nos obrigava a socializar. No primeiro dia, todos os alunos foram divididos em 15 grupos, que duraria durante o curso inteiro. Os grupos eram formados por pessoas desconhecidas e aleatórias, nunca ficávamos com alguém da própria escola. Haviam pessoas de Rezende no Rio de Janeiro, Belo Horizonte em Minas Gerais e até mesmo de São Paulo, na Mooca, a mesma região que eu. Todos, de alguma forma, acabaram se falando durante os 7 dias, acabamos criando relações de amizade com muitos, até mesmo quem não era do nosso grupo.
Além de palestras, tivemos aulas práticas e muita motivação. Assistimos uma palestra do astronauta brasileiro, Marcos Pontes e do fundador da EMBRAER, sem contar outros grandes nomes que sempre enfatizaram a importância de continuar, nunca desistir, e acreditar fielmente em seus sonhos.