Páginas

terça-feira, 30 de junho de 2015

Projeto: The Burning House.

Como estou de férias e tenho pelo menos tempo para entrar aqui no blog, estava vendo alguns e-mails e descobri entre eles o blog A Restless Transplant de um americano chamado Foster Huntington que largou seu emprego em Nova York em 2011 e passou a viajar pelo mundo, e até conseguiu construir uma casa e um escritório na árvore (UAU). E entre todos os seus projetos, eu vi um que me chamou bastante a atenção e que pode ser feito por qualquer um, simples e rápido: The Burning House, ou seja, A Casa Queimando, ou pegando fogo, o que seja...mas calma, não é nada em colocar fogo em sua casa, é apenas uma decisão que você teria que tomar se sua casa pegasse fogo, que é: O que você pegaria se sua casa estivesse em chamas? Além das pessoas e animais de sua casa, quais objetos sentimentais e necessários que você levaria consigo?
O projeto consiste em tirar uma foto com tudo aquilo que levaria, especificando o porquê de pegar aquilo, além de se identificar com nome, idade, ocupação e onde mora. Como o meu:
Nome: Clara Barros Bueno
Idade: 15 anos
Ocupação: Estudante
Local: São Paulo, Brasil.
  • Meu violão é muito importante para mim.
  • Algumas fotos de família, as favoritas que já estão em meu quarto separadas.
  • Tardis do Doctor Who que meus pais me deram e é o item favorito do meu quarto.
  • Meu celular
  • Algum livro bom, como As Sombras de Longbourn
  • Minha mochila vazia
  • Meias
  • Rosa, minha porca de infância de grande valor sentimental
  • E a câmera antiga daqui de casa
Na verdade acho que esqueceria metade dessas coisas, e o que levaria mesmo seria a câmera fotográfica, meu violão, a mochila e a porquinha (rosa).

O projeto está aqui no blog, podem me enviar as fotos por e-mail em sky.clara@gmail.com também estará no meu Facebook ou na minha galeria no Instagram, apenas marque sua foto com a hashtag #TheBurningHouseBR e aparecerá aqui no Verdeante e no blog Above Dresser, e em outras redes sociais.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Blog: O Menino da Cidade

Estou em uma fase da minha vida que tenho a necessidade de fazer escolhas, uma coisa terrivelmente assustadora para mim, já que minha indecisão sempre falou mais alto. Mas percebi que como eu, existem muitos outros por ai. Então, num dia qualquer, um amigo meu decidiu criar um blog O Menino da Cidade, em que falará um pouco sobre todas essas decisões que ele vai ter que tomar durante esse ano (seu último ano na escola) e mostrar como isso reflete em toda, e repito: TODA, a nossa vida. Fique com um trecho do texto dele:

Será um conselho?
O
lá, eu não vou escrever esse artigo por mim, mas por todas pessoas que estão no terceiro do ano do ensino médio, pois acho que dividimos os mesmos sentimentos nesse momento. O tão esperado terceiro ano, nem acredito que cheguei até aqui. Fico pensando"como será após esse ano? Como será a faculdade? O que irá acontecer com meus amigos?”.Ninguém sabe, cada um irá descobrir da sua maneira e tirar suas próprias conclusões. Sobre a amizades, fiz ótimos amigos nesse período da minha vida, mas será difícil manter contatos com todos. Esse ano não começou da melhor maneira possível, parece que não mandei uma dentro, parece que todas as minhas decisões foram erradas. Tem uma coisa que fica batendo na minha cabeça: a pressão familiar e escolar. Nunca pensei que era um peso tão grande, muitos professores e até mesmo o diretor da escola conversou conosco, todos dizem que não estamos levando a sério esse ano. Mas ninguém sabe o quão difícil é, pelo menos para mim está sendo muito difícil, ainda mais com esse começo de ano. [...]

Acessem: http://omeninodacidade.blogspot.com.br/

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Fotografia: fotos de fotos

Como algumas pessoas já sabem eu comecei a fotografar a um ano mais ou menos, e mexendo nas caixas velhas daqui de casa, acabei percebendo que a fotografia sempre fez parte da minha vida, como a de todo mundo (eu acho), então resolvi fazer alguma coisa a partir das fotos amareladas, o que deu nisso.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

"Aula não ensina, prova não avalia"

Esse ano minha vida escolar está uma completa bagunça, desde que entrei no ensino médio as coisas complicaram muito mais para mim. Tenho 15 anos hoje e lembro de quando comecei o blog com apenas 8 anos, e muitas, mas muitas coisas mudaram mesmo, desde minha forma de escrita até meu tempo no blog. Estava reparando nas matérias que estou aprendendo na escola e percebi que depois que passou a prova, lembro de pouquíssimas coisas que estudei e supostamente "aprendi".
A oito anos atrás minha tia avó, Lourdes Granato, uma educadora, criou uma empresa de consultoria educacional, a Convidaplena. e trouxe para uma das aulas o educador José Pacheco, criador da Escola da Ponte.
José Pacheco acredita que aulas não ensinarão e provas nunca poderão avaliar um aluno ou qualquer outra pessoa, como diz no vídeo abaixo.
A chamada Escola da Ponte, é uma escola em que os alunos possuem a liberdade de escolha. A autonomia dos alunos e a diferença do tradicional, são as principais características. A escola se baseia na aprendizagem e ensino comunitário, onde um ajudaria o outro. Cada estudante se aprofunda em um conhecimento específico que se identifique melhor, e perceberá que precisará entender outras matérias. Como um aluno que se identifica com história, e acaba precisando estudar matemática, assim cada aluno trilha o seu caminho com a ajuda de outros.
Me lembrei dessa forma de estudo quando cheguei a esse ano e percebi o quão matemática não é para mim - apesar de meu pai ser um contador. Estava procurando então alguns videos e encontrei o "Hackschooling", e a palestra de Logan LaPlante no TEDx.
Hackschooling foi o termo criado por Logan, um garoto que largou a escola com nove anos de idade com consentimento dos pais, depois de assistirem vídeos de Sir Ken Robinson, que diz que as escolas acabam com a criatividade das crianças e adolescentes. Depois de sair da escola, Logan participou de 'instituições comunitárias', é como aprender brincando ou na prática. Logan acredita que a educação é apenas um improviso, sem todo o sistema de uma escola tradicional, que assim ele aprende e é feliz com o que faz.

Me inscrevi no ENEM esse ano e apesar de estar apenas no segundo do ensino médio, pretendo saber em que "nível" de conhecimento (de acordo com o ENEM), estou. Faltam meses ainda até a prova, e fiz questão de montar meu plano de não estudos. Tenho provas na escola e não vou me matar para estudar para algo que estudei durante minha vida, então, vou fazer a prova e ver o que sei e então, ver o que preciso revisar ou não.
Procurar aprender algo que lhe satisfaz e te deixa feliz, com toda certeza será mais rapidamente aprendido e você nunca esquecerá.

Dia Mundial do Meio Ambiente e da Ecologia

Hoje, no dia 05 de junho, é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, e de acordo com o site Terra, temos 10 motivos para comemorarmos esse dia, por boas notícias no Brasil e no mundo, são eles:
1- Desmatamento da Amazônia cai 24%
2- Cresce o número de produtores orgânicos
3- São feitos compromissos para reduzir emissão de gases
4- Existirá mais energia solar
5- Frigoríficos contra o desmatamento
6- Estados Unidos lidera debates climáticos
7- Gás vindo de lixos, geram energia
8- China pune usinas poluidoras
9- Investimento em energia eólica
10- Painéis solares mais baratos

A queda no desmatamento da  amazônia foi dada pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) a partir do Deter, sistema que detecta desmatamentos em tempo real por satélites. De 2012 a 2013, o estado do Mato Grosso foi o estado que mais desmatou a Amazônia, mas houve queda de 35% nessas estatísticas de agosto de 2013 a maio de 2014.
O segundo estado brasileiro com maior índice de desmatamento foi o Pará, a dificuldade em conter esses desmatamentos está na fraca fiscalização e no alto número de proprietários irregulares de terras. Em Roraima, Acre, Maranhão e Tocantins houve aumento no desmatamento entre 2013 e 2014. 
Durante esse tempo de queda do desmatamento na Amazônia, a produção de soja e gado aumentaram, e de acordo com um estudo da revista Science, é possível reduzir o desmatamento e ao mesmo tempo aumentar a produtividade de alimentos no país. Esse desenvolvimento seria possível graças a um acordo entre o governo e o setor agropecuário, com fiscalizações ao combate do desmatamento ilegal e propriedades irregulares, e o projeto "Carne Legal", que conta com indústrias cem indústrias frigoríficas que devem desestimular o consumo de carne produzida na prática do desmatamento,
É possível diminuir mais e mais esse desmatamento, pelo menos começamos a ver uma diferença, começamos a ver que as pessoas estão começando a fazer algo e não apenas esperar. Tome iniciativa você também.

Fonte: G1 e Terra